Treino Full bodyFull body

O que é um Treino Full Body?


O treino full body, como o próprio nome sugere, é uma abordagem abrangente que envolve trabalhar praticamente todos os grandes grupos musculares em uma única sessão de treino. Ao contrário dos métodos mais segmentados, o treino full body concentra-se em exercícios que englobam o tronco, coxas, braços e o core. Essa estratégia visa a estimular os principais grupos musculares do corpo em uma única sessão.


Vantagem do Treino Full Body: Maior Capacidade de Trabalhar com Cargas Elevadas


Uma das principais vantagens do treino full body reside na sua capacidade de distribuir o estresse muscular de maneira mais equitativa, evitando a fadiga excessiva de um músculo específico. Ao contrário dos treinos que isolam grupos musculares, o treino full body permite a incorporação de exercícios compostos que envolvem múltiplos grupos musculares simultaneamente.


Ao adotar essa abordagem, não sobrecarregamos um único músculo de forma isolada durante a sessão de treino. Isso significa que, ao realizar exercícios que recrutam vários grupos musculares de uma só vez, podemos distribuir a carga de trabalho de maneira mais uniforme pelo corpo.

A ausência dessa fadiga localizada permite que o praticante trabalhe com cargas mais elevadas em comparação com os treinos que se concentram em um único grupo muscular. O resultado é um estímulo mais intenso para todo o corpo, promovendo ganhos de força e resistência global.



Benefícios do Treino Full Body

  1. Emagrecimento: O treino full body é uma excelente ferramenta para aqueles que desejam aumentar a carga total de treinamento. Ao envolver diversos músculos em uma única sessão, proporciona um estímulo global, contribuindo para o aumento da intensidade do treino.
  2. Definição: Ao envolver diversos grupos musculares simultaneamente, promove um aumento significativo no gasto calórico durante a sessão de treino. Esse aumento na queima de calorias contribui para a redução do percentual de gordura corporal, um elemento-chave na busca pela definição muscular.
  3. Melhorar a técnica da musculação: Essa estratégia de treino oferece uma vantagem para aprimorar a técnica nos movimentos da musculação. Ao evitar a fadiga isolada em músculos específicos, os praticantes têm a oportunidade de concentrar-se de maneira mais precisa e dedicada na execução correta de cada exercício.


Como Fazer um Treino Full Body

  1. Seleção de Exercícios: Escolha exercícios que englobem múltiplos grupos musculares, como agachamentos, supinos e remadas. Isso garante uma abordagem abrangente durante o treino.
  2. Sequência Lógica: Organize os exercícios de forma lógica, considerando a fadiga muscular. Por exemplo, comece com exercícios compostos e movimentos mais exigentes e progrida para exercícios mais isolados.
  3. Intensidade e Volume: Ajuste a intensidade e o volume de acordo com seus objetivos. Para iniciantes, inicie com cargas mais leves e volume moderado, aumentando gradualmente à medida que a resistência e a condição física melhoram.
  4. Periodização Adequada: Considere integrar o treino full body em fases específicas da periodização, como na fase de preparação física ou em ciclos de treinamento mais generalistas.



Ao adotar uma abordagem cuidadosa e personalizada, o treino full body pode ser uma estratégia valiosa para alcançar uma variedade de objetivos fitness, proporcionando resultados eficazes e eficientes em termos de tempo e esforço investidos.






Exemplo de Treino Full Body

Segunda

    • Agachamento Livre: 4 séries x 10 repetições
    • Supino Inclinado com Barra: 3 séries x 12 repetições
    • Puxada na Barra Fixa: 3 séries x 10 repetições
    • Stiff com Barra: 3 séries x 12 repetições

Desenvolvimento: 3 séries x 10 repetições

Rosca Direta: 3 séries x 10 repetições

    • Tríceps Testa: 3 séries x 10 repetições

Abdominais: 3 séries x 10 repetições


Quarta

Leg Press: 4 séries x 10 repetições

Supino Reto com Barra: 3 séries x 12 repetições

Remada Curvada: 3 séries x 10 repetições

Banco Flexor: 3 séries x 12 repetições

Abdução de ombros: 3 séries x 10 repetições

Rosca Scott: 3 séries x 10 repetições

Tríceps Francês: 3 séries x 10 repetições

Prancha: 3 séries x 10 repetições


Sexta

Banco extensor: 4 séries x 10 repetições

Crucifixo Reto: 3 séries x 12 repetições

Serrote: 3 séries x 10 repetições

Banco Abdutor: 3 séries x 12 repetições

Flexão de ombros: 3 séries x 10 repetições

Rosca Martelo: 3 séries x 10 repetições

Tríceps Polia: 3 séries x 10 repetições

Abdominal Infra: 3 séries x 10 repetições